Sábado, 15 Junho 2024 | Login
WhatsApp lança recurso 'Canais' igual ao do Telegram, com número ilimitado de participantes

WhatsApp lança recurso 'Canais' igual ao do Telegram, com número ilimitado de participantes

O WhatsApp anunciou nesta quarta-feira (13) o lançamento global do recurso Canais, que permite que pessoas e empresas enviem mensagens para um número ilimitado de usuários em um "grupo", algo semelhante ao que o Telegram já oferece.

Com a novidade, o WhatsApp se torna também um canal de transmissão de informações em massa. A empresa afirma que o acesso à funcionalidade estará disponível para todos os usuários "nas próximas semanas".

Como funciona?
Os Canais vão aparecer em uma aba separada: "Atualizações", que, antes, se chamava "Status" (veja abaixo). Ali, além dos stories, será possível encontrar os Canais novos, mais ativos e os mais populares.

Quem pode ter um Canal
Em um primeiro momento, só estarão disponíveis Canais de parceiros selecionados e verificados, incluindo o g1.

"Em breve", todo mundo poderá criar seus "Canais", afirmou Guilherme Horn, chefe do WhatsApp para mercados estratégicos.
"Pessoas físicas e empresas poderão ter Canais sem limitação de participantes. Em outros países, nós já temos grupos com milhões de pessoas", disse Horn ao g1.

Sem criptografia de ponta a ponta
Diferente do Telegram, a ferramenta não permite comentários, apenas reações com emojis aos conteúdos enviados.

E, ao contrário das mensagens trocadas entre conta individuais e grupos, os Canais não são protegidos com a criptografia de ponta a ponta por padrão.

Horn disse ao g1 que o WhatsApp fará acompanhamento e moderação dos conteúdos que serão enviados.

"Estamos preparados para coibir qualquer tema ilegal. Temos uma equipe no Brasil e será um trabalho parecido com o que é feito no Instagram e no Facebook", afirmou o executivo.

Ele também explicou que os criadores não terão nenhuma informação dos participantes. Nem mesmo os contatos em comum poderão ver quais amigos e familiares estão em um canal.

E o 'WhatsApp Comunidades'?
Os Canais lançados hoje são diferentes do WhatsApp Comunidades, que foi oficializado no Brasil no início deste ano.

O objetivo do Comunidades é reunir vários grupos do WhatsApp sob um mesmo guarda-chuva. Assim, o recurso permite adicionar até 50 grupos em uma comunidade, suportando até cinco mil pessoas.

"No caso do Comunidades, são grupos diferentes para interação. Existe uma a interação ali. Nos Canais, é um broadcast (transmissão). Uma pessoa só comunicando e várias recebendo, então é uma distribuição diferente de conteúdo", diz o chefe do WhatsApp para mercados estratégicos.

Fonte: G1

 

Itens relacionados (por tag)

  • Saiba qual o preço do iPhone 15 pelo mundo; confira a posição do Brasil na lista

    O iPhone 15 foi lançado pela Apple nesta terça-feira (12) e, junto com o burburinho em torno das inovações que o aparelho trouxe, veio a curiosidade sobre o valor de compra do aguardado smartphone. No Brasil, a versão com 128GB custará a partir de R$ 7,2 mil, aproximadamente US$ 1,4 mil, o valor mais alto entre os países do G20.

    Na Argentina, o mesmo modelo custará US$ 1319, segundo país onde o smartphone é mais caro. O mais barato da lista é a Arábia Saudita, onde poderá ser encontrado por US$ 499. Os dados são da Forbes Brasil, que fez um levantamento do preço dos modelos (considerando a versão 15 com 128GB) nos países do G20, o que inclui ainda África do Sul, Alemanha, Austrália, Canadá, China, Coreia do Sul, Estados Unidos, França, Índia, Indonésia, Itália, Japão, México, Reino Unido, Rússia e Turquia.

    De acordo com a reportagem, uma das principais razões para os preços mais altos nos países do G20 é a necessidade de repassar os custos de importação e impostos para os consumidores. A Apple precisa pagar taxas para importar os aparelhos para a região, e também precisa arcar com impostos.

    A comparação foi feita com base nos preços divulgados nos sites locais da Apple considerando a conversão da moeda local para o dólar na cotação de 13 de setembro.


    O iPhone 15 foi lançado durante o evento "Wonderlust", em Cupertino, Califórnia (EUA). A nova geração de celulares trouxe ainda o iPhone 15 Plus e os modelos iPhone 15 Pro e iPhone 15 Pro Max.

    Veja os preços do iPhone 15 com 128GB nos 19 países do G20:

    Brasil - US$ 1486
    Argentina - US$ 1319
    Austrália - US$ 1144
    México - US$ 1137
    Canadá - US$ 1129
    Japão - US$ 1079
    Coreia do Sul - US$ 1069
    França - US$ 1040
    Alemanha - US$ 1019
    Reino Unido - US$ 998
    Itália - US$ 999
    China - US$ 825
    Estados Unidos - US$ 799
    Indonésia - US$ 639
    Índia - US$ 539
    África do Sul - US$ 524
    Turquia - US$ 514
    Arábia Saudita - US$ 499
    Rússia*preço não disponível

  • Alagoinhas é habilitada pela Anatel para uso do 5G

    A cidade de Alagoinhas está na nova lista de municípios autorizados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) a utilizar a faixa 5G, de internet móvel. Na Bahia, apenas a capital e outros cinco municípios do interior têm cobertura da tecnologia até o momento.

    Com a ativação, o sinal 5G vai ficar disponível na cidade a partir de hoje, 31 de julho, a depender da solicitação das operadoras de telefonia. As faixas 4G e 3G continuarão funcionando de maneira normal.

    A tecnologia 5G tem uma vantagem em relação às redes anteriores, ao exigir a utilização de antenas pequenas, que dispensam torres e podem ser instaladas na fachada de prédios e até em postes e semáforos, sem interferir na paisagem urbana. No entanto, por ter frequência mais alta e comprimento de onda menor, a rede exige a instalação de mais antenas que os outros tipos de sinais.

    De acordo com o projeto Conecte 5G, o avanço do 5G que vai exigir de cinco a dez vezes mais antenas que o 4G. As operadoras pedem regras mais claras e licenciamentos mais ágeis para manter a velocidade de expansão da tecnologia.

  • WhatsApp volta a funcionar após queda global na tarde desta quarta-feira

    O WhatsApp voltou a funcionar após queda global na tarde desta quarta-feira (19). Por volta das 17 horas, usuários não conseguiam mais enviar mensagens tanto na versão Web quanto no aplicativo. Cerca de meia hora depois, o app retomou o funcionamento.

    No Twitter, há relatos de que aparecia a mensagem "conectando" quando a mensagem seria enviada, juntamente a um relógio.

    No Downdetector, que reúne falhas de sites e aplicativos, houve um pico de 44 mil reclamações de usuários do WhatsApp.

    A falha também foi observada em outros países, como o Reino Unido, com 177 mil reclamações, Estados Unidos, com 34 mil reclamações, e França, com 209 mil reclamações.

    Já no Twitter, mais de 419 mil publicações citam o WhatsApp.

    O g1 entrou em contato com a Meta, empresa que controla o aplicativo, questionando sobre a instabilidade, mas não obteve retorno até a última atualização desta reportagem.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.