Sexta, 21 Janeiro 2022 | Login
OMS alerta sobre nova fase de covid-19 na Europa

OMS alerta sobre nova fase de covid-19 na Europa

O diretor executivo do Programa de Emergências de Saúde da Organização Mundial da Saúde (OMS), Mike Ryan, afirmou que a batalha da Europa contra o novo coronavírus é uma "chamada de alerta" para o resto do mundo.

"É muito importante refletir sobre o exemplo da Europa, que representou mais da metade dos casos globais na semana passada, mas essa tendência pode mudar" disse Ryan. "Basta olhar para a curva epidemiológica da montanha-russa para saber que, quando se desce a montanha, geralmente se está prestes a subir outra", acrescentou.

No início deste mês, o mundo ultrapassou 5 milhões de mortes desde o inicio da pandemia, marca que o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, chamou de "novo limiar doloroso".

A circulação do vírus não cessou, e o aumento registrado de novas infeções dentro do território europeu demonstra a tendência: há uma nova onda de covid-19 a propagar-se. Com a aproximação do inverno, estação propícia à disseminação do SARS-CoV-2, a vigilância dos novos casos está na agenda dos governos europeus. Vários países estão se preparando para retomar as medidas restritivas aplicadas antes do verão.

França
A Europa voltou a ser o epicentro" da circulação do vírus, disse o porta-voz do governo francês, Gabriel Attal. O presidente Emmanuel Macron determinou que seja dada a dose de reforço da vacina aos franceses, de acordo com a imprensa local.

Desde outubro, o país assinala um aumento das infecções, com taxa de incidência de 62 casos por 100 mil habitantes, acima do limite de alerta.

O Parlamento aprovou definitivamente, na sexta-feira, a prorrogação do passe sanitário até 31 de julho. O prolongamento da validade do passe de saúde dependerá da campanha de vacinação de reforço

Alemanha
A Alemanha é outro país europeu a registrar um aumento de novos casos da doença.

Em um esforço para conter a transmissão, o ministro da Saúde alemão, Jens Spahn, anunciou que todos os cidadãos no país serão elegíveis para a dose de reforço da vacina, logo que se passem seis meses da segunda dose.

"A quarta onda da covid-19 no país está agora em pleno vigor", afirmou Spahn em entrevista

Nessa segunda-feira (8), a taxa de infecção diária de covid-19 na Alemanha subiu para 201,1 casos por 100 mil pessoas, a maior desde o início da pandemia.

Leste Europeu
A nova onda na Alemanha reflete um aumento de casos da variante Delta em toda a Europa, com a situação especialmente preocupante no leste do continente, onde a cobertura de vacinação é mais baixa.

A Romênia e a Bulgária vacinaram totalmente apenas 40% e 27% dos adultos, respectivamente. As novas infeções também atingem níveis recordes na Rússia, Ucrânia e Grécia.

Áustria
Na Áustria, foi anunciado na última sexta-feira 5) que as pessoas que não foram vacinadas contra a covid-19 serão impedidas de entrar em cafés, restaurantes e cabeleireiros. Qualquer evento com mais de 25 pessoas, a partir do final da próxima semana, passa a ser ilegal.

É a resposta das autoridades ao aumento de novas infecções para o nível mais alto em 2021.

Dinamarca
A Dinamarca propôs restaurar o uso do "passe corona" digital. O documento deverá ser apresentado pelos dinamarqueses para entrar em bares e restaurantes. A medida está sendo retomada para conter a terceira fase da pandemia de covid-19 que atinge o país.

O número de infecções diárias aumentou de forma constante para 2.300 nos últimos dias, depois de, em setembro, registrar apenas cerca de 200 casos.

A Islândia também reintroduziu máscaras e regras de distanciamento social após o aumento de casos.

Reino Unido
Desde o final do verão que o Reino Unido tem resistido à implementação de medidas como uso de máscaras ou passes de vacinas, que se tornaram a tendência em toda a Europa, apesar do grande aumento de infecções por covid-19 no país.

O Reino Unido registrou mais 57 mortes em 28 dias e outros 32.322 novos casos de covid-19 , de acordo com os dados mais recentes do governo. Os dados representam queda nas infecções de 16,6% na semana passada, enquanto as mortes aumentaram 8,2%.

O Reino Unido está "muito longe" de pensar num confinamento de inverno, disse um assessor do governo de Boris Johnson. Ele alertou, no entanto, que é vital que qualquer pessoa elegível receba sua vacina de reforço.

*Com informações da RTP - Rádio e Televisão de Portugal

Itens relacionados (por tag)

  • Surto de gripe e covid-19 afastam doadores dos postos de coleta de sangue

    A Fundação Hemoba tem sofrido o impacto no movimento de doadores de sangue devido ao aumento nos casos de infecções por covid-19 e por gripe influenza na Bahia. As contaminações tornam os doadores inaptos à doação por um determinado período. A inaptidão por gripe, por exemplo, aumentou mais de 300% em relação ao mesmo período do ano passado.

    Todos os anos, entre dezembro e janeiro, a Hemoba registra uma queda no número de doações de sangue, devido às festas de fim de ano e temporada de férias, mas desde a nova onda de contaminação pelo coronavírus, a situação está ainda mais delicada. Até o momento já são 102 voluntários impedidos de doar por apresentar algum sintoma gripal, contra 25 no mesmo período do ano passado. Segundo Fernando Araújo, Diretor Geral da Fundação Hemoba, esse número pode ser ainda maior, visto que aponta apenas os doadores que compareceram nas unidades e passaram pela triagem.

    “Nossos doadores fidelizados que apresentam sintomas já sabem que estão inaptos, por este motivo não comparecem à unidade para tentar fazer a doação. Essa baixa nos impede de atender as demandas transfusionais dos hospitais da rede própria, seja para pacientes em tratamento ou para realizar cirurgias eletivas e de emergência”.

    Araújo afirma ainda que “a nossa necessidade é constante e mais uma vez precisamos da ajuda da população para passarmos por esse período sem deixar pacientes desassistidos por ausência de sangue. Por isso, eu faço um apelo a você que está bem de saúde, sem sintomas gripais, e pode realizar a sua doação, para que compareça a uma das nossas unidades, e doe sangue, não dói, não causa prejuízo à saúde de quem doa e salva vidas.”

    Inaptidão por gripe e covid19
    Pessoas que estão gripadas ou que testaram positivo para Covid-19 devem aguardar o período de 15 dias após o total desaparecimento dos sintomas para realizar a doação de sangue. Já quem tomou a vacina da gripe ou o imunizante Coronavac, deve aguardar 48h para realizar a doação. As demais vacinas contra a Covid-19, como Astrazeneca, Pfizer e Jassen, impedem a doação de sangue por 07 dias.

    Critérios para doação de sangue - Para doar sangue, o voluntário deve estar de máscara, em boas condições de saúde, sem sintomas virais, pesar mais de 50 quilos, estar bem alimentado, ter dormido pelo menos 6h, não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12h, não fumar por pelo menos, duas horas, e ter entre 16 e 69 anos incompletos. Menores de 18 anos precisam estar acompanhados de um responsável legal, e apresentar documento original com foto, emitido por órgão oficial e válido em todo o território nacional, além de cartão de vacinação.

    Onde doar:
    A Fundação Hemoba conta com 29 unidades de coleta em todo estado nas cidades de Salvador, Camaçari, Feira de Santana, Alagoinhas, Santo Antônio de Jesus, Vitória da Conquista, Eunápolis, Barreiras, Brumado, Jequié, Guanambi, Irecê, Jacobina, Itaberaba, Itapetinga, Juazeiro, Paulo Afonso, Teixeira de Freitas, Ribeira do Pombal, Seabra, Senhor do Bonfim, Valença. Para conferir dias e horários de atendimento acesse o site da Hemoba: www.hemoba.ba.gov.br

  • Mais da metade dos testes de covid examinados pelo Lacen na Bahia dão positivo

    A taxa de positividade dos testes PT-PCR para covid-19 analisados pelo Lacen-BA chegaram a 51,29%. Isso significa que, a cada 100 testes feitos no estado, 51 dão positivo, de acordo com dados divulgados pela secretaria de Saúde da Bahia (Sesab).

    Para efeito de comparação, a taxa de positividade há duas semanas, no dia 4 de janeiro, era de 5,49%. Com isso, o aumento da taxa foi de 683% nos últimos 19 dias.

    A grande culpada dessa explosão de casos é a variante Ômicron, que já representa 74% dos casos ativos na Bahia. Ela é considerada pelos especialistas muito mais transmissível que as outras cepas, incluindo a Delta.

  • As três cidades baianas que lideram casos ativos de covid

    A Bahia passa por uma nova onda de covid-19 e, quando se trata do número de casos ativos, as cidades de Guanambi, Barreiras e Porto Seguro se tornaram líderes em novos infectados pelo vírus no início deste ano, no interior do estado. Há três dias, esses municípios têm estado no topo do ranking de casos ativos, sem contar Salvador e região metropolitana. Segundo dados da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) dessa quarta-feira (19), Guanambi, Barreiras e Porto Seguro reúnem 1.175 casos ativos dos 8.789 registrados no interior. Ou seja, as três cidades representam 13,37% dos casos ainda não curados atualmente.

    Com 527 casos ativos, a cidade de Guanambi, no sudoeste da Bahia, viu o número de infectados disparar após as festas de fim de ano. Moradora do município e médica psiquiatra, Maria Elisa Lima, 35 anos, percebeu a alta de casos no trabalho.

    "Estava de recesso e voltei a atender na sexta passada. Tivemos uns cinco pacientes que não puderam vir por estarem com covid. Antes desse aumento, não estava tendo remarcações”, conta ela, explicando que o volume de pacientes cancelando consulta só foi parecido em outros momentos de alta nas infecções pelo vírus.

    De acordo com Brisa Barros, médica e coordenadora do hospital de campanha da covid-19 em Guanambi, a demanda por atendimentos nunca foi tão grande como agora. "O número de casos aumentou exponencialmente. Mesmo no ano passado, nas outras ondas, não tínhamos um número de atendimentos tão volumoso como agora. Nosso máximo era 180 por dia. Agora, todo dia quebramos recorde, chegando a 280 atendimentos diários", fala a coordenadora.

    Além da aplicação da restrição de eventos válida para toda a Bahia, a gestão ampliou o atendimento para arcar com a demanda de infectados. No hospital de campanha, antes ficava um médico de plantão. Agora, são dois profissionais no pronto-atendimento por turno, e uma unidade de retaguarda vai ser reaberta para ampliar a atenção nas urgências.

    Barreiras tem 336 casos ativos no momento, com crescimento após as festas. Por conta do aumento de casos e outras doenças gripais, a gestão municipal reorganizou o fluxo de atendimento. Agora, unidades básicas de saúde e o centro de triagem lidam com casos leves, enquanto o pronto-atendimento é reservado para pacientes com sintomas graves.

    A subsecretária da Saúde de Barreiras, Jamile Rodrigues, afirma que percebeu o aumento no número de contaminados pela covid-19 porque ampliou o número de testagens. “Diante desses diagnósticos, nós ampliamos o serviço de atendimento a esses pacientes em unidades básicas e também no centro de triagem dedicado à covid e à gripe no centro da cidade, fazendo testagens e consultas”, explica.

    Jamile acredita que, pelo fato de Barreiras possuir muitas chácaras, muitas pessoas se aglomeraram nesses locais durante o período festivo de final de ano e isso causou o aumento no número de casos da doença. A subsecretária avalia ainda que, se for necessário, o município fará o seu próprio decreto com medidas restritivas, para evitar o avanço da covid.

    Em Porto Seguro, no sul da Bahia, a situação é parecida. Em quinto lugar no ranking de todo o estado, com 312 casos ativos, a cidade vive um momento em que é difícil não conhecer alguém que tenha positivado para o vírus nesse início de ano. Daniel Isidoro da Silva, 56, é guia de turismo, mora na cidade e conta o que tem sido os primeiros dias de 2022 por lá.

    “Porto Seguro não está com 100% de ocupação, mas temos muitos casos de contaminação da covid e da gripe também. Começaram após as festas serem liberadas, relaxamos demais. Conheço algumas pessoas que pegaram, todas casos leves pelo menos”, pontua.

    A Prefeitura de Porto Seguro e a secretaria de saúde do município foram procuradas pela reportagem para comentar a situação e falar sobre medidas que estão tomando para frear o avanço da contaminação, mas não responderam até o fechamento desta edição.

    Região metropolitana
    Já em Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), o secretário da Saúde do município, Augusto César, informou que o crescimento no número de casos ativos da covid-19 na cidade está ligado à flexibilização das medidas restritivas de prevenção à doença e também às aglomerações ocorridas em festas de final de ano. “A população não se atentou aos protocolos de restrições”, declara.

    Segundo ele, agora a pasta vai realizar um trabalho de prevenção para barrar o crescimento dos infectados. “Amanhã, vamos fazer barreira sanitária, igual a que fizemos no período de São João, em julho, para testagem da população”, finaliza César.

    Vacina salva-vidas
    Além do crescimento do número de casos, os três municípios do interior com mais casos ativos têm outra coisa em comum: o registro de quadro leve da doença. A médica e coordenadora do hospital de campanha da covid-19 em Guanambi, Brisa Barros, afirma que, em Guanambi, a explicação está na cobertura vacinal. De acordo com informações da prefeitura, 94,98% da população da cidade foi vacinada com as duas doses ou dose única contra a covid-19.

    “Por conta da vacina, a letalidade reduziu bastante. Nas últimas ondas, tínhamos uma média de duas entubações por dia. Desde que começou essa, tivemos uma entubação só de um paciente que já tinha sequelas por ter tido covid também antes da vacina”, explica.

    Ainda de acordo com Brisa, a vacina foi fundamental para evitar que a situação fosse pior dado o nível de relaxamento com as medidas de proteção que os cidadãos têm mostrado. "Acredito que se banalizou muito a covid, as pessoas relaxaram demais em relação aos cuidados. Isso e a presença da variante ômicron fizeram com que a transmissibilidade do vírus aumentasse muito", fala.

    O secretário de Saúde de Lauro de Freitas, Augusto César, também reconhece o impacto que a vacina teve dentro desta nova onda de casos que chegou à cidade da RMS. “Por causa da vacinação, os casos de contaminação são leves. Tínhamos 313 casos ativos, mas somente dois internados”, informou.

    A Secretaria de Saúde de Lauro de Freitas já vacinou mais de 174 mil pessoas acima de 12 anos com a primeira dose do imunizante contra a covid-19 e mais de 141 mil com a segunda. Com a terceira dose, 47.265 pessoas já foram imunizadas. Até agora, mais de 500 crianças já foram vacinadas no município.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.