Domingo, 24 Outubro 2021 | Login
Com mandíbula fraturada, Henri Castelli chora ao denunciar agressão sofrida em Alagoas

Com mandíbula fraturada, Henri Castelli chora ao denunciar agressão sofrida em Alagoas

O ator Henri Castelli assustou os seguidores na noite da última segunda-feira (11) ao revelar em meio às lágrimas ter sido vítima de agressão durante sua viagem para Alagoas.

Em vídeo, o galã global desmente a história que havia contado logo quando a informação vazou de que teria se acidentado na academia, e desabafou sobre a situação.
Segundo Henri, ele foi agredido de forma gratuita. O ator estava em um bar acompanhado de amigos, e diz ter sido surpreendido por alguns rapazes com socos.

“Não houve briga, eu fui agredido covardemente, puxado pelo pescoço, por trás, sem que tivesse antes sequer conversado com qualquer uma das pessoas que me agrediram. Não me parece que isso seja uma briga, eu não consegui nem reagir, fui jogado no chão e recebi chutes e socos”.

O artista revela que a decisão de contar que havia sofrido um acidente na academia surgiu após uma conversa com sua assessora. Segundo ele, a intenção era não preocupar sua mãe e seus filhos.

“Eu estava longe da minha família, com a boca pendurada, como que eu iria ligar para a minha mãe e falar: ‘Mãe, eu apanhei, quebraram a minha boca, mas eu estou bem’. Minha mãe somente soube do que verdadeiramente aconteceu depois que eu saí da cirurgia e fui para casa, eu pessoalmente quis falar com ela. A minha única preocupação era não assustar a minha mãe, meus filhos, em momento algum pensei em agir para legitimar ou não a minha palavra”.

O ator recebeu os primeiros atendimentos na Santa Casa de Alagoas, e com um fio de aço amarrado na boca, seguiu viagem para Fernando de Noronha, onde tinha compromissos profissionais. A cirurgia definitiva só foi feita no dia 8 de janeiro, no Albert Einstein, em São Paulo.

Por diversas vezes, Henri se emocionou no vídeo. O global registrou boletim de ocorrência e o caso está sendo acompanhado por um advogado de sua confiança.

“Torcer para que se Deus quiser não tenha sequela nenhuma. Há muito o que se fazer ainda. Então, é isso, meus queridos amigos. Eu precisava vir aqui pra falar com vocês, porque eu respeito muito o carinho que vocês têm por mim. A todos aqueles que, infelizmente, não sabem o que fazem, eu perdoo. Não tenho raiva nenhuma. Só quero me recuperar e rezar e ficar sem sequelas nenhuma”.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.