Quinta, 02 Dezembro 2021 | Login
Bahia com Tudo

Bahia com Tudo

Caso as pessoas não procurem os postos de saúde para completar o esquema vacinal contra a Covid-19, a Bahia vai atingir em breve a marca de 3 milhões de baianos que não estão com a vacinação em dia. Até a manhã dessa quarta-feira (24), são mais de 2,9 milhões de atrasados entre segunda dose e dose de reforço. E a vacina que está guardada esperando essas pessoas pode ser perdida.

De acordo com a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), do total do público que está com a segunda dose em atraso, 341.494 tomaram a vacina Coronavac; 358.796 Oxford/AstraZeneca; e 1.219.490 Pfizer/BioNTech. Em relação à dose de reforço, 1.013.074 de pessoas já poderiam ter ido a uma unidade de saúde.


E caso as pessoas não retornem aos postos de saúde para tomar a vacina, as doses podem ser perdidas. Segundo a diretora da vigilância epidemiológica do Estado, Márcia São Pedro, as doses enviadas da Pfizer, por exemplo, precisam ser aplicadas no prazo de até 31 dias, por conta das especificidades no armazenamento.

“Uma vez enviadas aos municípios, as doses só mantêm a validade em temperatura positiva pelo prazo de até 31 dias. Por isso, é tão importante que a população esteja atenta a esse retorno e compareça aos postos de vacinação para concluir o esquema vacinal contra a Covid-19”, pontua.

Leia mais: Salvador precisa vacinar 90% da população para ter Carnaval seguro, diz Fiocruz

A Sesab não informou se alguma dose de Pfizer ou de outro fabricante de vacina chegou a ser perdida por esse motivo. Para a Secretária da Saúde do Estado, Tereza Paim, as pessoas devem buscar ter a imunização completa, pois é isso o que garante maior proteção contra a doença.

“É importante que as pessoas busquem as unidades de saúde para se vacinarem contra a doença, incluindo também a dose de reforço. O esquema completo de vacinação dá uma maior garantia de defesa contra a doença”, ressalta. Ela ainda destaca que a principal medida para conter o avanço da Covid-19 é a imunização.

Algumas cidades da Bahia, como Salvador, oferecem a opção de vacinação no formato drive thru (Foto: Otávio Santos/Secom)
Leia mais: Hospital Roberto Santos tem surto de covid-19 e pacientes são transferidos

Situação na capital também é preocupante
O problema vivenciado no estado é refletido na capital. Em Salvador, dentre as pessoas com 12 anos ou, mais habilitadas para o recebimento da 1ª dose, mais de 70 mil ainda não compareceram aos postos para iniciar o ciclo vacinal. Outras 283 mil estão com o fechamento do esquema atrasado, e cerca de 156 mil ainda não foram tomar a dose de reforço.

Passados dez meses do início da Campanha de Vacinação contra a Covid-19 na cidade, o número de não vacinados chama a atenção e acende o alerta vermelho da Secretaria Municipal da Saúde (SMS). O titular da pasta, Leo Prates (PDT), afirma que os números são alarmantes e apela para que as pessoas busquem o imunizante para evitar uma nova onda da doença na cidade.

“Este é um número que muito nos preocupa, e é um cenário que já estamos acompanhando na Europa, chamado de 'pandemia dos não vacinados’. Na Alemanha, França, Dinamarca e Áustria, por exemplo, o aumento do número de casos, internações e mortes, atualmente, são de pessoas que não se vacinaram contra o vírus, e não queremos isso em Salvador. Por isso estamos fazendo um forte apelo para população comparecer ao ponto de imunização”, destacou.

Segundo o secretário, a Prefeitura de Salvador disponibiliza diariamente dezenas de pontos de imunização para garantir o acesso às doses da vacina (1ª, 2ª e 3ª), além do serviço de agendamento prévio, vacinação domiciliar, escolar e vacinação itinerante. Alertas também são enviados por mensagem via WhatsApp, conscientizando para a importância da iniciação e fechamento do ciclo vacinal, bem como da dose de reforço.

Leia mais: Diretora da OMS diz que mundo está entrando em quarta onda de covid-19

“Estamos nos esforçando ao máximo, de segunda a sábado, para garantir esse direito da população, mas precisamos contar com a conscientização dessas mesmas pessoas que estão sendo beneficiadas”, finalizou Prates.

O ator André Gonçalves vai cumprir prisão domiciliar decretada pela Justiça de Santa Catarina, usando tornozeleira eletrônica em sua casa, no Rio de Janeiro, assim que for notificado. A informação é de O Globo.

A jornalista e atriz Cynthia Benini move um processo contra André por dívidas com a pensão alimentícia da filha que os dois tiveram. André vive no Rio com a atual esposa, a também atriz Danielle Winits.

"O André vai cumprir a (prisão) domiciliar, tendo em vista que está desempregado e não tem como arcar com a dívida nesse momento", diz o advogado dele, Sylvio Guerra. Ele afirma que assim que a vida profissional de André for retomada, ele vai voltar a pagar as pensões. "Tudo o que ele mais quer é voltar a trabalhar e cumprir as responsabilidades como pai".

A decisão, divulgada na terça, determina que o ator fique em 60 dias em prisão domiciliar, com uso da tornozeleira eletrônica. Ele ainda não foi notificado. A defesa diz que no momento não tomará nenhuma medida para recorrer.

O ator deve cerca de R$ 350 mil em pensão da filha Valentina, de 18 anos. Os dois mantinham bom relacionamento. O valor mensal da pensão é de R$ 4,5 mil e a dívida foi se acumulando.

Demitido em 2016, André está inadiplente desde 2017 e a dívida atual inclui juros e correção monetária. Ek julho desse ano, ele teve bens penhorados por conta da dívida.

O advogado diz que até ser demitido, André tinha o valor da pensão dos três filhos descontados diretamente na folha de pagamento. Sem emprego, passou a pagar parte do valor, sem condição de arcar com tudo, diz.

"Os juízes vinham acolhendo nossas ponderações e provas, de que sem emprego ele não tem como arcar com a pensão integralmente. Mas neste período ele nunca deixou os filhos totalmente desemparados. Sempre que faz um trabalho, ele paga alguma coisa, mas não o valor integral", explica o defensor.

André é pai ainda de Manuela, 23 anos, da relação com Tereza Seiblitz, e de Pedro Arthur, 19, com Myrian Rios. Desde 2016, ele é casado com Winits.

Faltando cerca de um mês para o início das festividades de Réveillon, previstas para começar no dia 29 de dezembro, em Salvador, o prefeito Bruno Reis (DEM) e o governador Rui Costa (PT) ainda não conversaram sobre o assunto. Nesta quarta-feira (24), durante o lançamento de um programa da Prefeitura, Bruno disse que a reunião já foi solicitada e que o Carnaval também será pauta do encontro.

“Eu solicitei uma audiência com o governador e nós estamos ajustando as agendas para que a gente possa ter essa conversa. Assim que tiver, daremos conhecimento de qual é o nosso posicionamento sobre a realização desses eventos”, disse.

Em agosto, o prefeito anunciou que a festa de Réveillon teria cinco dias, começando em 29 de dezembro e seguindo até 2 de janeiro, mas frisou que a realização do evento estava condicionada ao cenário da pandemia. Nas últimas semanas, Bruno Reis disse que alguns artistas receberam propostas de outras cidades e cancelaram com Salvador e que dificilmente a festa terá cinco dias como havia sido cogitado.

“Espero ter a oportunidade de conversar com o governador sobre o Réveillon para que a gente possa tomar a nossa decisão. Enquanto isso, estou vendo o que está acontecendo no mundo, estamos avançando na vacinação e estamos ouvindo a opinião de todos para que possamos tomar a melhor decisão”, disse.

A última edição do Festival Virada Salvador, ocorrida na passagem de 2019 para 2020, reuniu 2 milhões de foliões durante os cinco dias de festa. No dia 31 de dezembro, a Arena Daniela Mercury, na Boca do Rio, recebeu cerca de 1 milhão de pessoas. O festival teve 49 apresentações artísticas e 70 horas de música.

Nesta terça-feira (23), o Instituto Gonçalo Moniz (Fiocruz-Bahia) enviou uma carta para a audiência pública da Câmara Municipal que debateu a possibilidade de realização do Carnaval. No documento, a instituição recomenda que 90% do público esteja vacinado e que seja exigido passaporte da vacina para que o evento ocorra com segurança. Atualmente, Salvador tem 79% da população completamente imunizada.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, recebeu nesta quarta-feira, 24, a medalha Mérito Legislativo 2021 em cerimônia na Câmara dos Deputados. A entrega foi feita pelo presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), aliado do governo, e por indicação do líder do PSL na Câmara, deputado Major Vitor Hugo (GO).

A medalha tem o objetivo de reconhecer o trabalho de autoridades, personalidades, instituições ou entidades que tenham prestado serviços importantes ao Legislativo ou ao País. Bolsonaro foi deputado federal por 28 anos, mas sempre considerado do "baixo clero".


Em um rápido discurso antes de ser homenageado, o presidente agradeceu a indicação de Vitor Hugo e o trabalho de Lira à frente da Câmara.

"Arthur Lira, muito obrigado pela deferência e pela forma como você se relaciona conosco", declarou o presidente. "Muito me honra. Estou muito feliz neste momento", completou Bolsonaro sobre a condecoração, a mais alta comenda da Câmara dos Deputados.


Durante o evento, Bolsonaro ouviu coros de "genocida", partindo de parlamentares rivais, e de "mito", por parte dos aliados.

Pelas regras da Câmara dos Deputados, Bolsonaro, por não estar vacinado contra a covid-19, deveria apresentar para entrada na Casa um teste negativo para o novo coronavírus. Até o momento, a presidência da Câmara não informou se recebeu o PCR do presidente.

A sessão foi presidida pela segunda secretária da Câmara, deputada Marília Arraes (PT-PE). Ela aproveitou o discurso para criticar Bolsonaro e destacou uma corrosão da democracia no País, citando especificamente os ataques do presidente ao Supremo Tribunal Federal (STF).

"Para aqueles que não exibam as credenciais democráticas que a concessão do mérito legislativo pressupõe, nunca é tarde para começar. Fazemos sinceros votos para que a concessão dessa honraria contribua para a formação de princípios e valores que ela representa", afirmou a petista.

Outro homenageado na sessão legislativa foi o Papa Francisco, representado pelo núncio apostólico.

Bolsonaro veio do Palácio do Planalto ao Congresso Nacional a pé, entrou pelo Anexo 1 do Senado Federal e se dirigiu ao plenário Ulysses Guimarães, da Câmara.

Desta segunda-feira (22) até o próximo sábado (27), a Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia (Hemoba) vai realizar uma série de atividades especiais por todo o estado para comemorar o Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue, celebrado todo 25 de novembro. Entre as ações, estão coletas externas, horários diferenciados e atrações culturais para homenagear doadores e, principalmente, incentivar novas doações.

Na capital baiana, a festa já começou. Na manhã desta segunda, rolou apresentação musical da Banda da Guarda Civil Municipal de Salvador, na sede do Hemoba, na Avenida Vasco da Gama, para abrir alas da campanha ‘Heróis da vida real. Nosso superpoder tá no sangue!’, que também homenageia profissionais da saúde e aos doadores fidelizados que possibilitaram o funcionamento das atividades da Hemoba durante a pandemia.

Sobre isso, Fernando Araújo, diretor-geral da Hemoba, ressalta a importância do banco fixo de doadores no período pandêmico e que o momento é para agradecer estas pessoas. “A empatia do povo baiano e o empenho e compromisso dos nossos profissionais têm garantido um estoque seguro para atendimento dos quase 40 mil pacientes cadastrados no ambulatório da Hemoba, além dos pacientes transfundidos nas mais de 350 unidades de saúde da rede pública estadual”, destaca.

Coletas Itinerantes
Para facilitar as doações no período, durante a semana, a unidade móvel de coleta da Hemoba ficará estacionada no Hospital das Clínicas (HUPES), no bairro do Canela, recebendo candidatos à doação de sangue e cadastro de medula óssea em horário especial, das 8h às 17h, de terça-feira (23) a sexta-feira (26). Já os postos do Salvador Shopping e Salvador Norte Shopping, os atendimentos acontecerão de segunda (22) a sábado (27) das 9 h às 18h.

Quem pode doar?
Estão aptos para fazer a doação todas as pessoas com idade entre 18 e 69 anos, que pesem no mínimo 50 quilos, estejam em boas condições de saúde e não tenham passado por parto ou cirurgia, pelo menos, nos três meses que antecedem a doação. Para homens, o limite máximo é de doação quatro vezes por ano e, para mulheres, três vezes. Os endereços e horários dos postos fixos de coleta na capital e interior do estado e a programação completa do evento podem ser acessados no site da Hemoba..

Campanha nacional
A Semana do Doador Voluntário de Sangue do Hemoba faz parte de mais uma edição da campanha nacional ‘Hemocentros Unidos’, que reúne os hemocentros públicos do Brasil em um trabalho coletivo de conscientização e apoio à doação voluntária de sangue.
Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo também participam da iniciativa.. Na Bahia, o padrinho da campanha é o cantor Xanddy (Harmonia do Samba).

A Semana Nacional do Doador de Sangue está sendo organizada com a colaboração de vários parceiros institucionais e privados como o GACC, Embasa, Polícia Militar da Bahia, Guarda Municipal de Salvador, Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde, Hospital professor Edgar Santos (HUPES), Grupo JCPM, Be Green, Sotero, Óticas Diniz, Linus Pauling, Pizza do Pai, Picolé da Lapa, Loja Macônica União e Sabedoria, entre outros.

De acordo com o boletim epidemiológico desta segunda-feira (22), a Bahia registrou, nas últimas 24 horas, 172 novos casos de covid-19 e 11 mortes pela doença. O número de casos teve uma taxa de crescimento de +0,01%.

Dos 1.255.653 casos confirmados desde o início da pandemia, 1.225.692 já são considerados recuperados, 2.720 encontram-se ativos e 27.241 tiveram óbito confirmado. Os dados ainda podem sofrer alterações devido à instabilidade do sistema do Ministério da Saúde. A base ministerial tem, eventualmente, disponibilizado informações inconsistentes ou incompletas.

O boletim epidemiológico contabiliza ainda 1.614.043 casos descartados e 250.117 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica em Saúde da Bahia (Divep-BA), em conjunto com as vigilâncias municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas desta segunda-feira. Na Bahia, 52.476 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19.

Até às 18h desta segunda, a taxa de ocupação de UTI Covid adulto no estado é de 36%, com 193 leitos ocupados dos 536 disponíveis. Enquanto a taxa de enfermaria adulto é de 22% de ocupação, com 145 internados e 646 leitos disponíveis.

Vacinação

Por conta de uma atualização no sistema de envio de dados da vacinação, apenas 62 municípios fizeram o carregamento das informações relativas ao público vacinado. Desta forma, não será possível consolidar os dados relativos à vacinação nesta segunda-feira.

Até este domingo (21), 10.952.306 de pessoas tinham sido vacinadas contra o coronavírus (Covid-19) com a primeira dose ou dose única. Esse dado representa 86,02% da população com 12 anos ou mais, estimada em 12.732.254. A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) realiza o contato diário com as equipes de cada município a fim de aferir o quantitativo de doses aplicadas e disponibiliza as informações detalhadas.

A Comissão de Educação do Senado aprovou um projeto de lei que cria o feriado de Santa Dulce dos Pobres, em homenagem a Irmã Dulce, que seria comemorado no dia 13 de março. O projeto é do senador Angelo Coronel (PSD-BA). A proposta ainda precisa ser analisada na Câmara dos Deputados e, caso aprovada, da sanção presidencial para entrar em vigor.

Irmã Dulce foi canonizada em outubro de 2019 e é a primeira santa genuinamente brasileira. Conhecida como "Anjo Bom da Bahia", Santa Dulce dos Pobres tem o dia 13 de agosto como data oficial de celebração.

13 de março, data proposta para o feriado, é quando ela morreu. O relator do projeto, senador Flávio Arns (Podemos-PA), ressaltou que esse dia já é tradicionalmente voltado à lembrança de Irmã Dulce na Bahia.

Trajetória da santa
Nascida em 1914 em Salvador, Maria Rita de Sousa Brito Lopes Pontes, que ficou conhecida como "anjo bom da Bahia", enfrentou as rígidas regras de enclausuramento da Igreja Católica para prestar assistência a comunidades pobres de Salvador, trabalho que realizou até a morte, em 1992.

Ingressou na vida religiosa como noviça na Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição, em São Cristóvão (SE). Em Salvador, passou a se dedicar a ações sociais. Em 1959, ocupou um galinheiro ao lado do Convento Santo Antônio e improvisou uma enfermaria para cuidar de doentes. Foi o embrião das Obras Sociais Irmã Dulce, que atualmente atende uma média de 3,5 milhões de pessoas por ano.

Milagre

Irmã Dulce teve dois milagres reconhecidos pelo Vaticano. Em 2001, orações em seu nome teriam feito parar a hemorragia de uma mulher de Sergipe que morreu durante 18 horas após dar à luz o seu segundo filho. Em 2014, o maestro baiano José Maurício Moreira voltou a enxergar após 14 anos de cegueira.

O ex-vereador da cidade de Jacobina, no norte da Bahia, Ramon Santos Celestino teve a casa invadida e foi agredido na noite de domingo (21). Nesta segunda-feira (22), ele está internado em Jacobina, no Hospital Municipal Antônio Teixeira Sobrinho, em estado grave.

De acordo com a Polícia Civil, conforme registro, os homens ainda não identificados também quebraram diversos objetos da casa. Celestino teve fraturas em várias partes do corpo e ainda não teve condições de prestar depoimento. Além de ex-vereador, Ramon também é oficial de justiça. Ele havia sido eleito em 2012, pelo então PMDB (atual MDB). Não há informações sobre a motivação do crime.

Agora, o caso segue investigado pela Delegacia de Jacobina.

Foram expedidas as guias para perícia no local e para o exame de lesões corporais. A apuração deve prosseguir com a Delegacia Territorial de Jacobina.

Através de assessoria, a Prefeitura do município afirmaram estar dando apoio a Ramon e cobrando das autoridades a justiça.

A Justiça Federal no Distrito Federal rejeitou nesta quinta-feira, 18, um pedido de entidades educacionais para afastar o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Danilo Dupas. O órgão é responsável pela organização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

A decisão liminar é do juiz Marcelo Rebello Pinheiro, da 16ª Vara Federal de Brasília, para quem não há elementos suficientes que justifiquem o afastamento neste momento.

O magistrado reconheceu que a investida contra o presidente do Inep pode ‘representar indício de má gestão ou abuso de poder’, mas concluiu ser necessário ‘maior aprofundamento’ sobre o pedido coletivo de exoneração, inclusive com manifestação do próprio instituto.

"Não há lastro probatório suficiente para, em sede de cognição sumária, intervir em decisões administrativa que gozam de presunção de legitimidade, somente podendo ser afastadas por prova robusta em seu desfavor", diz um trecho da decisão.

O pedido de afastamento foi apresentado depois que vieram a público relatos de servidores do Inep sobre suposta pressão psicológica e vigilância na formulação do Enem, para evitar questões que pudessem incomodar o núcleo ideológico do governo Jair Bolsonaro. O próprio presidente chegou a dizer que o vestibular começa a ‘ter a cara do governo’. Ao todo, 37 técnicos entregaram os cargos às vésperas da aplicação das provas, que começam no domingo, 21. Em sua decisão, o juiz ainda considerou que o afastamento do diretor do Inep, faltando três para o vestibular, poderia prejudicar a realização do exame.

A Defensoria Pública da União (DPU) também acionou a Justiça e pediu para que o Inep comprove a segurança do Enem contra vazamentos de questões, fraudes e interferências indevidas. "O que se vê, mais uma vez, é a credibilidade do Enem ser colocada em xeque por atos e falhas dos órgãos da administração pública federal", diz trecho da ação civil pública, que ainda acusa o Planalto de tentar ‘controlar o conteúdo da prova’.

Dupas esteve no Senado na quarta-feira, 17, e negou interferência nas provas e disse que a troca de questões do exame é ‘comum’. O presidente do Inep também afirmou que a demissão em massa não tem relação com qualquer tipo de assédio moral ou institucional aos servidores.

Quem recebe benefício do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) por estar afastado do trabalho por incapacidade temporária – o antigo auxílio-doença – deve ficar atento para o agendamento de nova perícia médica, sob o risco de ter o benefício suspenso.

Os 95 mil beneficiários por afastamento temporário foram convocados por edital no fim de setembro e têm até esta sexta-feira (19) para agendar nova perícia médica, em que será avaliado se o beneficiário permanece incapaz para o trabalho.

O agendamento pode ser feito por meio do aplicativo Meu INSS ou da central de atendimento 135. Se o segurado não agendar a perícia, o benefício será suspenso e só será reativado após novo agendamento. “Caso não ocorra a manifestação do cidadão, o auxílio será cessado definitivamente”, alerta o INSS.

A lista com o nome e o número de benefício de todos os convocados foi publicada e deve ser conferida no Diário Oficial da União.

Esse modo de convocação é utilizado para os casos em que as cartas com o chamamento para nova perícia foram devolvidas pelos Correios, sem que o beneficiário pudesse ser localizado. Isso ocorre por causa da mudança de endereço sem a respectiva atualização cadastral, por exemplo.

Foi convocado quem recebe o benefício por afastamento temporário há mais de seis meses e que não tem data de cessação já estipulada ou indicação de reabilitação profissional através do Programa de Revisão dos Benefícios por Incapacidade (PRBI).

A revisão desse tipo de benefício ocorre desde agosto, quando 173 mil beneficiários foram convocados por carta. Segundo o instituto, os aposentados por invalidez e pessoas que recebem o amparo assistencial ao deficiente não passam por esta revisão.

O INSS destaca que a nova perícia médica não necessariamente pode resultar na interrupção do afastamento temporário. É possível que o benefício seja mantido, mas que seja marcada uma data de cessação futura. Outra possibilidade é que o benefício se transforme em aposentadoria por invalidez, quando constatada a total impossibilidade de recuperação.

Passo a passo
Todos os convocados devem acessar o Meu INSS, por meio de aplicativo de celular ou pela internet (site gov.br/meuinss), e seguir os seguintes passos:

1. Fazer login no Meu INSS;
2. Clicar em Do que você precisa?, e escrever Agendar Perícia. Em seguida: Novo Requerimento;
3. Escolher entre "Perícia Inicial", se for a primeira vez, ou "Perícia de Prorrogação", se já estiver em benefício.
4. Seguir as orientações que aparecem na tela;
5. Informe os dados necessários para concluir o seu pedido.

O agendamento também pode ser feito ligando para a Central de Atendimento do INSS pelo número 135 e seguir as instruções. Por esse meio é possível também atualizar o endereço e o telefone do beneficiário, se for o caso.