Sexta, 19 Agosto 2022 | Login
Bahia com Tudo

Bahia com Tudo

O Dia D das campanhas de imunização contra poliomielite e da multivacinação, para atualização do esquema vacinal de crianças e adolescentes, será neste sábado (20), das 8h às 17h, em Salvador. Serão 125 pontos de vacinação em todas as regiões da cidade. A lista pode ser consultada no site da Secretaria Municipal da Saúde.

A estimativa é que mais de 152 mil crianças menores de 5 anos componham a estratégia contra pólio e a meta para a campanha contra a poliomielite é vacinar pelo menos 95% das crianças menores de 5 anos que residem no município. Até o momento, pouco mais de 2,5 mil crianças menores de cinco anos compareceram aos postos para imunização.

De acordo com a coordenadora de Imunização da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), Doiane Lemos, essa é mais uma oportunidade de pais e responsáveis regularizarem a situação vacinal das crianças e adolescentes que residem na capital. “Temos praticamente duas semanas que iniciamos as estratégias na cidade e a busca pelos imunizantes ainda é bastante tímida. Nossa expectativa é que, no Dia D, os pontos de vacinação apresentem uma procura significativa. O intuito é evitar a transmissão de doenças que são imunopreveníveis em nossa cidade”, enfatizou.

No caso da multivacinação, são esperados 497 mil jovens com idade inferior a 15 anos para a atualização do calendário de imunização. No entanto, até o momento, apenas 6 mil jovens entre zero e menores de 15 anos de idade buscaram os postos de saúde.

Proteção
Há duas vacinas contra a pólio disponíveis no calendário de vacinação. A VIP (vacina inativada pólio), administrada por via intramuscular, é preferencialmente destinada a crianças no primeiro ano de vida. Já a VPO (vacina pólio oral), também conhecida por ser a vacina da gotinha, é utilizada como reforço nas campanhas anuais de vacinação.

Na multivacinação estão disponíveis todas as vacinas do calendário básico voltado a crianças e adolescentes menores de 15 anos. Dentre os imunizantes estão a tríplice viral, tetraviral, DTP, HPV quadrivalente, meningocócica conjugada (ACWY), Pneumocócica 10 e BCG.

O clima está tenso na região das aldeias localizadas no território indígena Barra Velha, no município de Porto Seguro, no sul do estado. Desde segunda-feira (15), os povos originários denunciam que homens armados cercaram as aldeias de Boca da Mata e Cassiana por conta de disputas de terra. Durante o conflito, indígenas correram para a mata e se esconderam. Na quarta-feira (17), um tiroteio deixou dois homens feridos, depois que um grupo de indígenas ocupou uma fazenda na região. A Justiça deferiu uma liminar em favor do proprietário.

A área em questão é identificada e delimitada como território indígena pelo governo federal desde 2009, mas lideranças indígenas afirmam que o local sempre esteve sob ameaça de fazendeiros que praticam a pecuária e o cultivo de café na região. A tensão aumentou entre os dias 12 e 18 de junho, quando um grupo de mais de 100 pessoas da etnia Pataxó retomou uma área denominada como Fazenda Brasília.

A partir daí começou uma disputa fervorosa entre os dois grupos, e a Aldeia Pataxó Cassiana foi atacada no dia 18 de julho. “Nós denunciamos tudo isso ao Ministério Público, governo do estado e Ministério da Justiça, mas nada foi feito. No dia 18, o mesmo pessoal que já tinha feito o cerco invadiu a Aldeia Cassiana. A Polícia Federal (PF) foi ao local ouvir as lideranças e fez um relatório circunstancial”, conta Agnaldo Pataxó, coordenador do Movimento Unido dos Povos e Organizações Indígenas da Bahia (Mupoiba).

Na quarta-feira (17), o juiz federal Pablo Enrique Carneiro Baldivieso, da Subseção Judiciária de Eunápolis, deferiu uma liminar favorável ao proprietário da Fazenda Brasília, alegando risco de iminente invasão no imóvel rural. Na decisão de interdito proibitório, o juiz afirma que a Fundação Nacional do Índio (Funai) reconhece que a área está totalmente inserida na terra indígena Barra Velha do Monte Pascoal.

Mesmo assim, o juiz decidiu que a Comunidade Indígena Pataxó deve se abster de realizar atos concretos de invasão da fazenda de Espólio de Pedro Alcântara Costa, sob pena de multa diária de R$ 1 mil.

Emerson Pataxó, integrante da Associação de Jovens Indígenas Pataxó (Ajip), critica a decisão tomada pelo juiz e afirma que uma equipe jurídica está articulando para derrubar a liminar. “A gente sabe que esse juiz sempre, em suas decisões, foi contrário às pautas indígenas e favorável ao agronegócio. Muitas pessoas que estão lá já estão fugindo e nós, enquanto liderança, estamos tentando articular um apoio de proteção aos parentes do território de Barra Velha”, diz Emerson Pataxó.

Agnaldo Pataxó afirma que o povo vai continuar lutando pelo território e defende a resistência do grupo. “Nosso pessoal vai manter a resistência porque essa é uma área nossa, que foi identificada e delimitada desde 2009. O pessoal [invasores] está encostando e se aproximando das Aldeias de Boca da Mata e Cassiana e apertando o pessoal. Precisamos expulsá-los ou a Justiça precisa tomar alguma providência porque do jeito que está não tem condição nenhuma”, afirma a liderança.

De acordo com os povos originários, o grupo que vem ocupando o território é formado por fazendeiros, posseiros e milicianos. Informações iniciais apontam que dois policiais militares, que trabalham como segurança para fazendeiros, foram os feridos no conflito de quarta-feira (17). Um dos PMs seria da reserva e outro seria da ativa, mas estava de folga. Os dois foram levados para um hospital da região e já tiveram alta médica.

O conflito tem dificultado o dia a dia do povo Pataxó da região, como conta Ãwãnuk Pataxó, uma das lideranças da Aldeia Cassiana. De acordo com ela, tem sido preciso atravessar um rio para obter suprimentos. Para ajudar, a jovem indígena tem utilizado as redes sociais para divulgar os registros feitos na sua comunidade, com o intuito de obter auxílio. “Estamos dormindo debaixo de lona porque derrubaram nossas casas”, diz.

Movimento Unido dos Povos e Organizações Indígenas denuncia que casas foram destruídas (Foto: Divulgação Mupoiba)

O que dizem as autoridades
Em nota, a PF informou que visitou a região e que não foram encontrados agressores, veículos suspeitos ou munição. A Polícia afirmou ainda que recomendou ao Ministério Público Federal (MPF) que, em ofício ao Comando local da Polícia Militar, orientasse a tropa a não tomar partido no conflito local. Procurado, o MPF informou que tem acompanhado os conflitos fundiários no sul do estado e que abriu inquérito para apurar a situação.

“No momento, o MPF mantém contato constante com as autoridades responsáveis para apurar a situação, evitar novos conflitos e buscar a segurança das comunidades indígenas”, pontuou. Sobre a legalidade da reivindicação do território, o Ministério Público se limitou a afirmar que cada ação judicial que possa envolver territórios reivindicados por indígenas é analisada individualmente.

Já a Polícia Civil, disse que os dois homens que faziam a segurança particular de uma fazenda deram entrada no Hospital Municipal Frei Ricardo na quarta-feira (17), mas já receberam alta. Disse ainda que as investigações estão sendo realizadas pela 23º Corregedoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin/Eunápolis).

Procurada, a prefeitura de Porto Seguro, onde está localizado o território Barra Velha, informou que o conflito é uma demanda de segurança pública de competência da Polícia Militar, Polícia Federal, Funai e Ministério da Justiça.

História
A antropóloga Anna Kurowicka chama atenção para a criticidade do drama vivido pelas comunidades do povo Pataxó. Em sua visão, a questão das retomadas dos territórios pelos povos indígenas ao longo do país surge em uma contrapartida à omissão do Estado.

“O Estado tem o poder, as competências e os meios para garantir os direitos territoriais dos povos originários. Enquanto isso não acontece, os Pataxó e outros povos vêem como única a solução de retomar as suas terras, se encorajando a enfrentar a resistência dos grupos de interesse que atuam em suas terras, como os fazendeiros e as empresas de eucalipto, no caso específico dos Pataxó”, explica.

Lideranças ouvidas pela reportagem temem que um episódio trágico ocorrido em 1951 se repita no mesmo local. Na ocasião, indígenas de Barra Velha tiveram suas casa incendiadas, foram torturados e mortos pela polícia local e ao menos 38 indígenas foram presos.

“O que se teme é que ocorra um novo de 51, que foi um massacre que matou centenas de nossos parentes do nosso povo. O que vemos agora são policiais que atuam na defesa desses fazendeiros”, afirma Emerson Pataxó. Procurada, a Polícia Civil não confirmou que haja oficiais envolvidos na segurança dos fazendeiros.

A deputada estadual Kátia Oliveira (União Brasil) lamentou nesta sexta-feira (19) a morte de uma criança de dez anos atingida por uma bala perdida no distrito de Jauá, em Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador. Segundo a parlamentar, a criança foi vítima da violência que assola a Bahia, que lidera o ranking de homicídios no país.

“É lamentável que na Bahia dos dias atuais até uma criança de 10 anos, jogando bola ao lado de casa, seja vítima da violência que assola o nosso Estado. Volto a dizer ao Governador: ponha a mão na consciência, tenha um gesto de amor aos baianos e demita o senhor Ricardo Mandarino da Secretaria de Segurança Pública”, disse a deputada.

O garoto de dez anos estava jogando futebol com os amigos quando foi atingido pela bala perdida. A mãe do menino revelou que ele ainda chegou a correr em direção a ela para pedir socorro. Ele chegou a ser socorrido para a UPA de Arembepe, mas não resistiu o morreu.

"Infelizmente, a Bahia enfrenta uma situação muito delicada na segurança pública. Líder em homicídios, na capital e no interior, população amedrontada e assustada. Não podemos permitir que essa situação continue. Já ficou claro que o governo do PT não tem competência para resolver esse grave problema e dar segurança para a população", ressaltou.

O professor Paulo Cesar Miguez de Oliveira foi empossado como reitor da Universidade Federal da Bahia (Ufba) pelo Ministério da Educação. O termo de posse foi assinado na quinta-feira (18), de maneira eletrônica.

Miguez foi vice-reitor da universidade pelos últimos oito anos, na gestão de João Carlos Salles, e era o primeiro nome da listra tríplice indicada pela Ufba. Ele agora assume formalmente o mandato de 4 anos.

Em nota, a Ufba celebrou a posse diz que a nomeação foi uma "vitória da resistência da universidade pública" diante do cenário recente em que muitos nomeados não seguiram o primeiro indicado das listas tríplices.

Miguez foi o mais votado tanto no Colégio Eleitoral, com 54 votos, como na consulta informal que é feita em todas as três categorias da universidade, que contabilizou mais de 10 mil votos.

A Ufba diz que a cerimônia de posse vai acontecer no Salão Nobre da Reitoria "em breve".

Termina nesta quinta-feira (18) o prazo para os eleitores que não estiverem no seu domicílio eleitoral no dia da votação, no primeiro turno, em 2 de outubro; e, em caso de segundo turno, no dia 30 de outubro, solicitarem o voto em trânsito.

O requerimento para votar em trânsito precisa ser feito presencialmente, em qualquer cartório eleitoral, sem necessidade de agendamento. É possível solicitar o voto em trânsito para o primeiro, o segundo ou ambos os turnos.

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o voto em trânsito vale apenas para o cargo de presidente da República, quando a eleitora ou eleitor indicar uma cidade localizada em outra unidade da Federação diferente da do município do seu domicílio eleitoral.

“Podem votar nos cargos de deputado federal, deputado estadual, senador, governador e presidente da República apenas eleitoras e eleitores que indicarem para o voto em trânsito um município que esteja localizado na mesma unidade da Federação do seu domicílio eleitoral”, diz ainda o TSE.

O pedido para votar em trânsito só pode ser feito para as capitais e cidades com eleitorado igual ou superior a 100 mil pessoas. É possível consultar os locais habilitados a receber o voto em trânsito no site do TSE. Não é possível indicar municípios em outros países para o voto em trânsito.

Eleitores, com o título de eleitor cadastrado no exterior, poderão votar em trânsito se estiverem em viagem ao Brasil. Para isso, devem indicar o município onde estarão no dia da votação. Nesses casos, só poderão votar exclusivamente em candidatas e candidatos a presidente da República.

“O voto em trânsito funciona como uma transferência temporária de domicílio eleitoral. A habilitação para votar em trânsito não transfere ou altera quaisquer dados da inscrição eleitoral. Após as eleições, a vinculação do eleitor com a seção de origem é restabelecida automaticamente”, informa o TSE.

A intensificação dos ventos podem causar ondas de até 2,5 metros na orla de Salvador. O alerta foi emitido pela Marinha e é válido até essa sexta-feira (19).

Segundo a Marinha, as ondas maiores podem ocorrer em toda faixa litorânea que vai até o Rio Grande do Norte.

Os navegantes devem ficar atentos aos avisos e condições meteorológicas antes de irem ao mar, alerta a Marinha.

A previsão do tempo para Salvador nesta quinta-feira (18) é de poucas nuvens, com possibilidade de chuva isolada.

Uma mega operação foi deflagrada em Salvador e Região Metropolitana na manhã desta quinta-feira (18). Mais de 130 policiais civis cumprem mandados para reprimir fraudes cometidas mediante negociações de vendas de imóveis e veículos.

A operação foi deflagrada pelo Departamento de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP). Segundo o delegado Arthur Gallas, os crimes cometidos por diversos grupos de estelionatários, através de sites de compras e redes sociais, somam um prejuízo de mais de R$ 860 mil e 165 vítimas já foram identificadas.

“Os criminosos atraíam as pessoas, com ofertas de vantagens inexistentes. Após receber o pagamento, os estelionatários fugiam de suas responsabilidades, cortando também a comunicação com os clientes”, detalhou.

As investigações foram desenvolvidas conjuntamente em diversas unidades da Polícia Civil, entre elas, Delegacia do Consumidor (Decon), DCCP sede e Delegacia de Repressão a Estelionato e Outras Fraudes (Dreof). Também participam da Operação, os Departamentos de Inteligência Policial (DIP), de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e de Polícia Metropolitana (Depom).

Foi um começo de campanha empolgante para a deputada estadual e candidata a reeleição Kátia Oliveira do União Brasil.
No primeiro dia de campanha autorizada pelo calendário eleitoral, as lideranças políticas, prefeitos e vice prefeitos da região metropolitana, vereadores de diversos municípios, além, é claro, de boa parte da população de Simões Filho, atenderam em massa a convocação da deputada Kátia Oliveira e seu esposo Dinha, prefeito da cidade, para o primeiro grande ato da sua campanha à reeleição para a assembleia legislativa da Bahia.
O evento que lotou a avenida Washington Luiz, em frente ao novo e moderno centro de abastecimento, recém entregue à população pelo prefeito Diógenes Tolentino (Dinha), marcou também o início da campanha da chapa majoritária, com as presenças dos candidatos ao governo do estado ACM Neto (UB) e do candidato ao senado Cacá Leão (PP).
Em sua fala, Kátia reforçou seu compromisso de continuar trabalhando para melhorar a vida das pessoas, garantindo o acesso aos direitos básicos, bem como, enfatizou a sua luta pelos direitos das mulheres da Bahia. Se comprometendo em continuar lutando para defender os interesses de todo o povo baiano e simõesfilhense na assembleia legislativa da Bahia.
Muito prestigiado, o comício contou ainda com as presenças do presidente da Câmara de Simões Filho, o Vereador Eri Costa, um dos grandes apoiadores de Kátia, do prefeito de Camaçari Antônio Elinaldo, principal articulador político de ACM neto na região metropolitana, do prefeito de Salvador Bruno Reis, do ex prefeito de Feira de Santana Zé Ronaldo e do deputado federal e candidato à reeleição Paulo Azi, que conta com o apoio e dobradinha com Kátia Oliveira em Simões Filho.
Outros candidatos à ALBA e Câmara Federal de diversos partidos aliados, também marcaram presença nesse grande ato político promovido por Kátia Oliveira e sua equipe.

Nesta quarta-feira (17), o Estado da Bahia inaugurou obras e anunciou uma série de novas intervenções no município de Itabuna. Entre as entregas estão uma areninha com grama sintética, na Avenida Fernando Cordier, e uma pista de atletismo também com grama sintética, no 15º Batalhão da Polícia Militar (BPM). Ainda na ocasião, que contou com a presença do governador Rui Costa, foi autorizada a licitação para modernização dos colégios Valdelice Soares Pinheiro e da Polícia Militar (CPM).

Para o desenvolvimento urbano na cidade serão investidos mais de R$ 25 milhões na pavimentação das avenidas Bionor Rebouças, Cinquentenário, Amélia, Itajuípe e Ilhéus; e das ruas Juracy Magalhães, do Cajueiro, Roberto Santos, Felícia de Novais, Santos Dumont, Tiro de Guerra, José Oduque Teixeira, dos Trovadores, Floresta, Hercília Teixeira, Amado, entre outras.

Ainda em Itabuna, o Estado autorizou a elaboração de projetos para a realização de obras de construção de 80 unidades habitacionais, e para a construção da Feira de São Caetano. Além disso, o Estádio Luiz Viana Filho será reformado, por meio da Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb), órgão vinculado à Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre). A cidade também está contemplada com obras de uma nova escola em tempo integral com 24 salas de aula e a requalificação da Vila Olímpica Professor Everaldo Cardoso, as duas obras estão em andamento.

Duplicação Ilhéus-Itabuna e outras obras

A Secretaria de Infraestrutura do Estado (Seinfra) será responsável pela pavimentação da BA-963, no trecho de acesso a Itabuna, e da BA-262, no trecho entre Floresta Azul e Almadina. O órgão também faz a pavimentação de um trecho de 18 quilômetros de rodovia que liga o município de Itabuna a Ilhéus, ampliando a BA-649, à margem direita do Rio Cachoeira. O Estado da Bahia investe R$ 196 milhões na implantação do novo trecho da BA-649, com quatro pontes e um viaduto. A previsão é de que a obra seja concluída até janeiro de 2024.

Os primeiros seis meses de 2022 apresentaram redução nos crimes de homicídio doloso, latrocínio e lesão corporal seguida de morte em todo o estado. Os dados oficiais foram publicados nesta quarta-feira (17), no Diário Oficial do Estado (DOE).

De 1 de janeiro a 30 junho de 2022, a Bahia contabilizou 2.630 casos de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs), 328 casos a menos do que no ano passado, quando o estado contabilizou 2.958 mortes.

A maior redução aconteceu na Região Integrada de Segurança Pública (Risp) Sudoeste, que registrou a diminuição de 20,7% nas ocorrências (saindo de 226 em 2021, para 179 este ano). Atualmente a região sudoeste detém a segunda maior taxa populacional, com mais de 2,1 milhões de habitantes.

Os dados serão considerados para o pagamento do Prêmio por Desempenho Policial (PDP) realizado pelo Governo do Estado, para as equipes que conseguiram reduzir as mortes violentas na Bahia, no primeiro semestre do ano, após atingirem e ultrapassarem a meta de 6% de redução.

"O resultado do empenho das forças policiais da Bahia está aí e mostra o quanto somos capazes de trabalhar ainda mais para reduzirmos ainda mais esses números. Reforçaremos o trabalho para chegarmos ao final do segundo semestre com mais números positivos", destacou o secretario da SSP, Ricardo César Mandarino.

 

Pagina 1 de 455